Como chegar
 Ambulatórios
 Arquivo médico
 Centros cirúrgicos
 Ensino
 Escalas médicas e bucomaxilofacial
 Estrutura
 Gestão
 GTH
 Histórico
 Indicadores
 Internação
 Licitação
 Ouvidoria
 Pronto Socorro
 Mural Funcionários
 WEB
 
27 de agosto de 2015

Hospital São José recebe da Anvisa nota A em monitoramento de risco

O Hospital Municipal São José recebeu o resultado da análise do monitoramento das atividades da Rede Sentinela, mantido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), referente às ações desenvolvidas pela Gerência de Riscos da unidade de janeiro a dezembro de 2014.

O hospital foi classificado na categoria A, com 31,64 pontos, figurando entre as mais bem colocadas das 215 instituições cadastradas em todo o país.

A Rede Sentinela funciona como observatório no âmbito dos serviços para o gerenciamento de riscos à saúde, em atuação conjunta e efetiva com o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS). Dessa forma, foi instituída uma Gerência de Risco em cada serviço que compõe a rede, que tem como objetivo melhora da qualidade e segurança de produtos consumidos e serviços prestados.

De acordo com a enfermeira Renata da Silva Laurett, gerente de risco do Hospital Municipal São José, a pontuação é conquistada através da comprovação documentada de várias exigências feitas pela Anvisa. “São questionados o Plano de Segurança do Paciente, as ferramentas da qualidade utilizadas e a relação de todas as notificações correspondentes à farmacovigilância, tecnovigilância e hemovigilância”, explica Renata.

Além da enfermeira Renata, o resultado positivo das atividades da Gerência de Riscos do Hospital Municipal São José tem a participação efetiva das enfermeiras Roseneli Drehmer e Heliana Martinhago, responsáveis pela tecnovigilância e hemovigilância, respectivamente; da farmacêutica Ana Carolina Cristofolini Leopold, responsável pela farmacovigilância; e das enfermeiras Elizabeth Maluche e Liliane da Luz, do Núcleo de Segurança do Paciente.


10 de agosto de 2015

Hospital Municipal São José realiza captação múltipla de órgãos

Uma captação múltipla de órgãos foi realizada neste domingo (9) no Hospital Municipal São José. No procedimento, coordenado pela Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) da unidade, foram captados, de um mesmo doador, coração, fígado, pâncreas, rins e córneas, sete dos nove órgãos possíveis de serem retirados para transplante no Estado. Os órgãos eram de um jovem que teve morte encefálica confirmada na noite de sábado (8).

Segundo a enfermeira Maria Caroline Siqueira Rosa, integrante da CIHDOTT do Hospital São José, o start foi dado no sábado, às 21h30, depois da confirmação do diagnóstico de morte encefálica. “A família de prontidão aceitou a doação, e demonstrou ter encontrado neste ato de compaixão um pouco de conforto para um momento de perda como aquele”, conta a enfermeira.

A captação, realizada por uma equipe médica do Hospital Santa Isabel de Blumenau, foi coordenada pela enfermeira Aline Lopes, da CIHDOTT do Hospital São José, e contou com a participação de profissionais de diversos setores da unidade, como Centro Cirúrgico Geral, UTI Neurocirúrgica, Terapias Complementares, Serviço Social e Psicologia. O transporte dos órgãos foi feito com o helicóptero Águia, do Grupamento de Radiopatrulhamento Aéreo (GRAER).


20 de julho de 2015

Ala de internação oncológica do Hospital São José recebe mais de R$ 14 mil em móveis hospitalares

Um ato de solidariedade e amor ao próximo irá beneficiar os pacientes da ala de internação oncológica do Hospital Municipal São José. O setor irá receber uma cama hospitalar e seis poltronas reclináveis novas, além da reforma das 19 poltronas já existentes na ala. Os custos serão quitados com os recursos arrecadados na terceira edição da Feijoada do Bem, evento beneficente que ocorreu no último sábado (18).

Um cheque simbólico, no valor de R$ 14.680, foi entregue a representantes do Hospital São José e da Prefeitura de Joinville no dia do evento. Nove das 19 poltronas que serão reformadas já foram retiradas pela empresa que fará o serviço. A compra da cama hospitalar e das seis novas poltronas já foi realizada, e a empresa deve entregar ao hospital em até 90 dias.

Segundo o diretor-presidente do Hospital São José Paulo Manoel de Souza, a doação desses móveis hospitalares irá proporcionar ainda mais conforto para os pacientes. “Com essas seis novas poltronas, mais as 19 que já tínhamos e estão sendo reformadas, teremos uma poltrona para cada leito do setor”, explica. “Sem dúvida é um grande gesto, que irá colaborar de forma muito positiva para o tratamento dos pacientes internados para o tratamento do câncer”, completa.

A ala de internação oncológica do Hospital Municipal São José foi inaugurada em março de 2002, e atende pacientes adultos com todos os tipos de câncer. O setor conta com 25 leitos e, só em 2015, já atendeu mais de 400 pacientes.


16 de julho de 2015

Prefeitura de Joinville muda direção do Hospital Municipal São José

O prefeito Udo Döhler nomeou nesta quinta-feira (16) Paulo Manoel de Souza como o novo diretor-presidente do Hospital Municipal São José. Ele irá substituir o servidor de carreira Carlos Alexandre da Silva, que estava à frente do hospital desde fevereiro de 2014.

Antes de assumir o Hospital São José, Paulo de Souza exercia o cargo de diretor-executivo da Secretaria Municipal de Saúde, que passa agora a ser ocupado por André Luis Biancarelli.
Paulo de Souza é formado em Administração pela Univille, pós-graduado em Política e Estratégica e pós-graduando em Gestão Pública. Ele também é militar da reserva do Exército, onde compôs o quadro de saúde (enfermeiro pela Escola de Saúde do Exército).

A transição na diretoria do Hospital teve início nesta quinta-feira com a participação da Secretária de Saúde Francieli Schultz com a colaboração do ex-diretor-presidente Carlos Alexandre da Silva, que continuará exercendo sua função pública e auxiliando o município.

A mudança no hospital inclui ainda a diretoria-executiva que será ocupada por Irinéia da Silva e a gerência administrativa-financeira por Janaina Teixeira, ambas servidoras de carreira.


3 de julho de 2015

Hospital São José faz segunda captação completa de múltiplos órgãos de 2015

A Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) do Hospital Municipal São José coordenou nesta sexta-feira (3) a segunda captação completa de múltiplos órgãos realizada em 2015 na unidade. A primeira ocorreu em fevereiro.

Foram captados, de uma única doadora, válvulas cardíacas, fígado, pâncreas, dois pulmões, dois rins e duas córneas. Os órgãos, que poderão beneficiar até dez pessoas, eram de uma jovem de 22 anos, vítima de acidente de trânsito, que teve morte encefálica confirmada na noite de quarta-feira (1).

Membro da CIHDOTT, a enfermeira Maria Caroline Siqueira Rosa conta que o processo teve início na quarta-feira e encerrou apenas nesta sexta-feira, quando os órgãos foram captados. “Tudo começa com sinais clínicos que indicam a possibilidade do paciente estar em morte encefálica. Neste momento, são realizados vários testes e exames, até a confirmação do óbito”, explica. A equipe da CIHDOTT só inicia a conversa sobre doação com a família depois de confirmado o diagnóstico de morte encefálica, respeitando os aspectos éticos e legais do processo de captação.

Confirmada a morte encefálica, segundo a enfermeira, a comissão precisa agir rapidamente, porém, é necessário respeitar e dar um tempo para que a família que acabou de perder seu ente possa assimilar a morte. “Muitas vezes a família precisa de um tempo para compreender a perda de seu familiar. É um processo delicado e doloroso e por isso iniciamos a conversa sobre doação geralmente um dia após a confirmação do diagnostico de morte encefálica, respeitando este momento de dor da família”, afirma.

De acordo com Maria Caroline, só depois da autorização da família a equipe pode dar início ao processo de captação. “De imediato avisamos a CNCDO [Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos e Tecidos de Santa Catarina], que fica em Florianópolis, para que eles iniciem a busca pelos receptores compatíveis, que fazem parte de uma lista única do SUS. É o que chamamos de start”, explica.

A partir deste momento, as equipes são notificadas pela CNCDO, que também organiza os horários de início do processo e toda a logística necessária. “Ao mesmo tempo, no hospital preparamos as documentações necessárias, coletamos exames e comunicamos o centro cirúrgico, que faz todo o preparo das salas cirúrgicas e materiais para a captação dos órgãos”, completa.

O processo de captação contou com a equipe da CIHDOTT do Hospital Municipal São José; o cirurgião cardiovascular Claudinei Collatusso, pela Central de Notificação, Captação e Doação de Órgãos (CNCDO) do Paraná; a cirurgiã torácica Fabíola Adélia Perin e o residente em cirurgia torácica Alisson Izidoro Angelo, pela CNCDO do Rio Grande do Sul; o cirurgião geral Mauro Rafael da Igreja, pela CNCDO de Santa Catarina; profissionais da equipe multidisciplinar e de enfermagem do Hospital Municipal São José; e o Grupamento de Radiopatrulhamento Aéreo da Polícia Militar, com o helicóptero Águia auxiliando no transporte dos órgãos.


 ARQUIVO NOTÍCIAS
 
CONTATO: (47)34416666
  ARQUIVO NOTÍCIAS
  LINKS